sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

CLIPPING CRF/RS – NOTÍCIAS Anvisa, SES/RS, CFF 04/01/2019

Notícias Anvisa, SES/RS, CFF

O farmacêutico na intercambiabilidade de medicamentos biológicos

No mês de dezembro, encerraram-se as discussões no Ministério da Saúde sobre a Política Nacional de Medicamentos Biológicos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O Conselho Federal de Farmácia (CFF), membro do Grupo de Trabalho (GT) que debateu e formulou esta política, participou ativamente das discussões, finalizadas no dia 14/12, quando o documento foi concluído e deverá seguir para consulta pública e posterior aprovação do ministro da saúde. Um dos assuntos que envolvem a questão dos biomedicamentos é o alto custo de aquisição. A alternativa a este problema, enfrentado por sistemas de saúde no mundo inteiro, tem sido o uso de medicamentos similares, no caso, os biossimilares.

Uso de mercúrio está proibido em produtos para saúde

Está proibida a fabricação, importação e comercialização dos termômetros e medidores de pressão que utilizam coluna de mercúrio para diagnóstico em saúde. A medida também inclui a proibição de uso desses equipamentos em serviços de saúde, que deverão realizar o descarte dos resíduos sólidos contendo mercúrio, conforme as normas definidas pela Anvisa RDC 222/2018 e Órgãos Ambientais. A medida foi definida pela RDC 145/2017  e entrou em vigor nesta terça-feira (1/1). A proibição dos termômetros e dos esfigmomanômetros, como são chamados tecnicamente os medidores de pressão, com coluna de mercúrio, é resultado da Convenção de Minamata. A convenção foi assinada pelo Brasil e mais 127 países em 2013 e tem como objetivo eliminar o uso de mercúrio em diferentes produtos como pilhas, lâmpadas e equipamentos para saúde, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário